Jesus transformou meu caráter...saiba mais...

sexta-feira, 31 de janeiro de 2014

MINHA HISTÓRIA 25º PARTE - LUTA CORPORAL COM A MALDITA VOZ



Separada definitivamente vivia como a “maldita voz” queria, livre 100% para ser destruída e destruir.
Sofria com crises terríveis de enxaquecas duas ou três vezes no mês, o médico passou um remédio controlado chamado Cefalium, comecei a fazer o tratamento e a ter atitudes de uma louca, mas eu sabia que eu não era louca, então abandonei o tratamento por contra própria com medo de ficar louca definitivamente.
Assumir um relacionamento sério com um dos amigos do meu ex esposo, que já vinha-mos tendo um caso a alguns meses. O tratava como noivo e fazia com ele tudo que fiz com meus ex esposo. Passei a ser mais perseguida pela a “maldita voz” e seus comparsas junto com meu filho.
Eu e o meu filho podia ouvir, ver e sentir a sua presença constantemente. Era assustador, socorria o meu filho quando era atormentado, mas escondia de todos os meus tormentos... Viver uma vida de aparência é terrível!!!
Uma dessas noites de tormentos, passei o dia inteiro vendo meu filho sofrer com um dor que o fazia arrastar de uma das penas e andar encurvado como um velhinho. Fui deitar por volta das 22hs, meu filho dormia ao meu lado, quando de repente, algo pulou sobre mim com a mão sobre o meu pescoço falou no meu ouvido: Já peguei o seu filho agora é a sua vez!!!
Pude sentir seu “bafo” quente na minha orelha!
Começou a me estrangular, travei uma luta tentando me soltar mas nada do que fiz deu certo até que lembrei do nome de Jesus e gritei por Ele em pensamento com toda a minha força a “maldita voz”, é quem estava tentando nos matar com a sua próprias mãos naquela madrugada. Quando entendi isso levantei da cama desesperada fui em direção ao guarda roupa procurar a única coisa que tinha para me salvar a Bíblia que tinha ganhado da minha mãe que tinha sido obreira.
Ela estava escondida dentro de uma caixa de sapato no meio de um bocado de papeis velho debaixo de um monte de roupa nos fundo do guarda roupa, não me lembro como ela foi para lá.  Eu jogava tudo no chão desesperada, chorando e tremula. Quando a encontrei parecia que eu estava vendo o próprio Deus.
Meu filho ainda dormia, eu abrir no salmo 91 porque lembrei que minha mãe me disse que era um salmo de livramento, era o que precisava naquele momento, ser livre da morte. Li o salmo e a medida que lia fui me acalmando, minha respiração ficou normal, tive certeza que estava livre, olhei para meu filho e pensei: Eu estou livre e ele?
Me subiu uma revolta tão grande daquela desgraçada, derrotada da “maldita voz” que coloquei minhas mãos na cabeça dele, sem pensar em nada e grite: sai dai agora, solte meu filho em nome de Jesus! Ele começou a tremer e a se debater na cama, a perna que ele não conseguia mover, agitou-se com fúria e eu tirei as mãos da cabeça dele acompanhada de um grito: Sai! E meu filho respirou fundo e continuou a dormir.
É isso mesmo, eu expulsei a “maldita voz” do corpo do meu filho e ela foi obrigada a largar ele naquela noite, eu dormir em paz como nunca tinha dormido. Mas não tinha idéia do que me aguardava a partir desse dia.

No dia seguinte, voltei as práticas das más obras, livre daquele pavor da noite, entreguei-me por completo ao mundo e consequentemente a “maldita voz”.

Passei a sofrer de insônia, levava meses sem dormir, meu filho passou a sofrer mais acidentes ainda. Acontecia coisas diabólicas com ele, eu não sabia que tinha mostrado para “maldita voz” que um dia seria o que me tornei hoje naquela madruga. Hoje tenho certeza que ela ficou desesperada e começou uma corrida contra o tempo para tirar minha vida antes que fosse tarde demais para ela.
Desenvolvi uma doença chamada pavor noturno, não queria mais ir para casa a noite, saia do trabalho e ficava vagando pelas ruas até o último ônibus passar. As vezes ia para barzinhos, saia com algum homem, ia para motéis, para algum lugar que me afastasse de casa.
Sempre que chegava em casa tinha a sensação que tinha um monte de gente tentando me matar, olhava os cantos da casa toda hora, olhava debaixo da cama, da mesa, das portas de qualquer lugar que eu achava que dava para se esconder uma pessoa, já cheguei até a olhar debaixo da geladeira, kkkk hoje eu dou risada quando lembro disso, mas era terrível! Quando deitava para dormir, quando eu não era usada por um espírito, eu era atormentada com a certeza que se eu fechasse os olhos eu morreria, então resistia o cansaço e não dormia com medo.
Nessas alturas eu tinha entregue meu filho ao pai dele, e morava sozinha, as minhas noites eram muito longas, estava sempre casada, desanimada e com uma tristeza profunda que tentava esconder com uma vida de “curtição” regada de muita bebidas e homens.

Posso imaginar as pessoas que vivem assim hoje, achando que estão doentes ou que estão ficando louca. Elas escondem isso porque tem vergonha que as pessoas as chamem de louca e seja confirmada o temor delas.
Não viva mais assim Busque Ajuda! Isso é causado por um espírito maligno que quer ver seu sofrimento e por fim levar sua alma.


JESUS PODE LHE DAR MUITAS NOITES DE SONO TRANQUILA COMO ELE TEM ME DADO...

Continua....

Nenhum comentário:

Postar um comentário